Jovem com perna amputada participa de corrida no Borel

Léo Barbosa é um exemplo de superação. Foto: Albert Andrade

Leonardo Barbosa teve amputação da perna esquerda por conta de um tumor no joelho em 2016

O Projeto De Braços Abertos teve sua primeira edição em 2019 na comunidade do Borel, com mais de 800 participantes. No entanto, ninguém se destacou tanto quanto Leonardo Barbosa, de apenas 20 anos de idade. O momento da linha de chegada do jovem foi o mais aplaudido e aonde ele iria lá estavam as dezenas de olhares acompanhando seu passo seguido do som do ferro de suas muletas encostando no chão.

Aos 17 anos, Léo descobriu um tumor em estágio avançado no joelho esquerdo e precisou amputar todo o membro inferior. Uma notícia chocante e que mudaria toda a vida do menino, que já era atleta de jiu-jitsu e tinha as pernas como equipamento fundamental para a prática de seu esporte favorito. “Foi muito difícil a adaptação, mas eu continuei no jiu-jitsu. Era uma questão de persistência e acreditar em si mesmo até concluir o objetivo”, explicou Léo Barbosa.

A sintonia com a corrida de rua veio justamente após a amputação. Até então, Leonardo nem cogitava correr ou participar de competições da modalidade. A “chave virou” pela busca de um novo desafio, pela procura de algo “impossível”. Daí para frente, o morador do Caju, na Zona Portuária do Rio de Janeiro, fez questão de se inscrever primeiramente no De Braços Abertos.

“Eu não corria antes da amputação, comecei a participar de competições de corrida porque gosto de desafios e de atingir meu limite. Então, se perdi uma perna, vou correr. Conheci o projeto lá no Caju, minha terra. Gostei e participei, depois fiz também uma prova no Santa Marta e agora estou aqui no Borel, que foi a que mais gostei por ter sido a mais difícil. Dificuldades nos preparam para algo maior”, afirmou Léo, que já confessou que estará também na próxima edição de 2019, no Vidigal.

Vencedora do concurso “Fotografe Esta Ideia” no Santa Marta doa prêmio à corredora sem patrocínio

Julia Carvalho é idealizadora de campanha social que presenteia atletas brasileiros com pares de tênis

A sorridente Julia posa com seu prêmio. Ela conseguiu mais de 500 votos por foto no Santa Marta

No último dia 20 de agosto, na comunidade pacificada Santa Marta, em Botafogo, aconteceu a 24° edição do Projeto De Braços Abertos. Marcada pela alegria de sempre e por ter reunido mais de 900 atletas, que percorreram um trajeto de 6 km repleto de desafios, a etapa realizou também o já tradicional concurso fotográfico “Fotografe Esta Ideia”. A vencedora, com 511 votos, foi a estudante de medicina Julia Carvalho, de apenas 21 anos, que doou a premiação (tênis da Mizuno) à Bruna Ramos, uma atleta amadora sem patrocinadores e sem condições de comprar o acessório.

Natural de Niterói, a jovem sofreu nos últimos anos com doenças como bulimia e anorexia. Devido a isso, ela procurou na corrida de rua uma forma de terapia para controlar o complexo alimentar. Atualmente Julia integra a equipe de Triatlhon EZK Team e criou um espaço dentro de uma rede social (Instagram @viver.rezar.amar) para divulgar seus resultados, sua história de superação e incentivar outras meninas que também sofram com doenças alimentares. Através do mundo virtual ela criou uma campanha para doar tênis a atletas mais necessitados, intitulada ”Adote Um Atleta”, sim, o mesmo nome do programa patrocinado pela Mizuno, que ocorre no Projeto De Braços Abertos.

Com a curiosidade de conhecer alguma comunidade carioca e saber como as pessoas vivem nessas áreas mais carentes, Julia viu a oportunidade aparecer no último mês de agosto. “Um amigo tinha participado na etapa da Rocinha e isso me animou a me inscrever para o Santa Marta. Meu pai mora em Botafogo, então eu estaria bem próxima do local e seria a hora perfeita para conhecer essa região mais carente”, explica.

Apesar de não ter recebido incentivo de amigos e familiares, a corredora fez questão de seguir em frente coma inscrição e não se arrepende. “Todo mundo me criticar e querer alertar para eu não ir à uma comunidade só fez aumentar a minha vontade e a experiência foi fantástica! O que mais vi foram policiais, me senti segura durante todo o tempo e a energia que absorvi dos moradores foi incrível. Eu passei por dentro da casa deles em alguns trechos e, sem exceção, todos sorrindo e batendo palmas, uns até fazendo graças porque sou bem branquinha e ruiva, mas com delicadeza”, conta aos risos.

Julia Carvalho não pensou duas vezes quando soube da competição fotográfica do Projeto De Braços Abertos e, logo lembrou-se da velocista Bruna Ramos, de 24 anos. Produziu uma foto na entrada da comunidade com sua medalha à mostra e trajando a bela camiseta do projeto. Depois obteve cinco centenas de votos com o apoio de amigos e da equipe de corrida e garantiu o presente de Bruna. “No meu Instagram já recebi mensagens de meninas agradecendo por eu tê-las incentivado a ingressar em um esporte. Já doei alguns pares de tênis, até pelos Correios, para outros estados, e da mesma maneira que o esporte me salvou, eu quero que ele salve outras jovens pelo Brasil, então dar um calçado é o mínimo que posso fazer. A Bruna ficou agradecida demais e tenho certeza que vai obter grandes performances com este lindo Wave Pro Runner”, afirma.

O tênis da Mizuno já foi devidamente entregue à corredora Bruna

A próxima edição do Projeto De Braços Abertos será realizada em 26 de novembro, no Caju, Zona Portuária do Rio de Janeiro.