Moradores do Vidigal são destaque na etapa

 


Moradores do Vidigal se destacam em primeira corrida do Projeto de Braços Abertos em 2016


Comunidade da Zona Sul do Rio de Janeiro recebeu edição de estreia da temporada do De Braços Abertos. Moradores esbanjaram alegria e conseguiram resultados expressivos. Atrações à parte, crianças de 1 a 13 anos levaram o público ao delírio
A comunidade do Vidigal, na Zona Sul do Rio de Janeiro, abriu novamente suas portas para o Projeto De Braços Abertos neste domingo (22). A corrida marcou o início do evento em 2016 e, mais uma vez, mobilizou toda a região, levando às ruas aproximadamente 1500 participantes. Divididos entre adultos e crianças, os corredores deram um verdadeiro show de disposição, além de mostrar o motivo da iniciativa ser tão bem acolhida entre os moradores. Parceiros de longa data do De Braços Abertos, José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, e William René Alonso, Chefe do Comando de Operações Especiais (COE), fizeram questão de comparecer e disputar os 6km de percurso,  programado para iniciar dentro das vielas do Vidigal, passar pela Avenida Niemeyer e ter seu fim também na comunidade.
Em clima para lá de descontraído, os inscritos largaram sob forte calor, mas em nenhum momento deixaram que isso atrapalhasse suas performances. Misturados entre atletas da comunidade e corredores oriundos de outros locais do Rio de Janeiro, ele brigaram passada a passada pelas melhores colocações da prova. No fim, o melhor entre todos os participantes foi Amauri José do Santos, com o tempo de 27 minutos e 29 segundos. Ex-profissional do atletismo, o carioca, que reside em São Cristovão, Zona Norte, não competia no Braços Abertos há três anos. Segundo lugar no geral, Misael Santos, morador do Vidigal, completou a prova em 28 minutos e 12 segundos e faturou o título da comunidade. De quebra, levou para casa o cheque que lhe renderá um ano de materiais esportivos da Mizuno.
Entre as mulheres, Marta Pinheiro ficou na primeira colocação entre as mulheres que não pertenciam à comunidade. Com o tempo de 37 minutos e 51 segundos, ela terminou a prova na segunda colocação no geral feminino. Grande campeã do dia, Beatriz Fernandes surpreendeu ao chegar no primeiro lugar entre as meninas em sua participação de estreia no Projeto de Braços Abertos. Criada no Vidigal, ela puxou bastante o ritmo e encerrou sua participação com o 36 minutos e 49 segundos. O resultado também lhe rendeu um ano de equipamentos esportivos da Mizuno, por intermédio do Adote um Atleta.
“Ainda não estou acreditando que cheguei na primeira colocação. Nunca havia disputado o De Braços Abertos, mas meus amigos me colocaram muita pilha e eu resolvi correr. Apesar de ser moradora, não conhecia todo o percurso, que foi muito puxado. Gostei bastante de participar da corrida e, com certeza, estarei disputando mais vezes. Comecei a correr há sete anos e isso transformou completamente a minha vida. Procuro sempre estar treinando firme para conquistar bons resultados. Costumo dizer que hoje em dia vivo em função da corrida e da minha filha”, comentou a campeã do Vidigal.
Responsável por premiar os vencedores, Ana Maria, Gerente Geral da Caixa Econômica, uma das patrocinadoras oficiais do evento, salientou a importância dessa parceria “É uma honra a Caixa estar participando de um projeto como esse, que envolve esporte, comunidade, enfim, coisas que tem tudo a ver conosco. Nossa missão é estar junto com o povo e temos como missão levar esse tipo de iniciativa para a população. Estamos muito satisfeitos”.

Chefe do Comando de Operações Especiais, William René Alonso que, ao lado de José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança do Estado, é um entusiasta deste tipo de atividade, celebrou o sucesso de mais uma etapa do Projeto De Braços Abertos dentro de uma comunidade. Feliz em ver os jovens e as crianças sendo iniciados no esporte, ele ressaltou a importância dessas ações para os moradores, ainda carentes de esporte e cultura.

“O mais importante é trazer o esporte para locais que antes não poderíamos imaginar como sede de algum evento. Esse é um trabalho da Policia Militar e da população local, como um todo, e ratifica o processo da pacificação dessas comunidades. É excelente ver jovens e crianças participando de uma iniciativa tão legal. O esporte faz parte do meu dia a dia e acredito que ele seja fundamental para o bem estar de qualquer cidadão. Estamos construindo uma base sólida e só quem ganha com isso são os moradores, que conseguem ter cada vez mais acesso ao esporte, saúde e cultura”, enfatizou.

Sobre o Projeto de Braços Abertos:

​Iniciado em 2012, o Projeto de Braços Abertos usa o esporte como plataforma de integração e que já teve passagens por diversas comunidades cariocas, como: Rocinha, Borel, Manguinhos, Maré, Jacarezinho, Vidigal, Santa Marta e Caju . Como é de tradição, o projeto transcende o esporte e contempla a união social da comunidade por meio de oficina de capacitação profissional e os concursos Grafite seu Esporte – liderado pelo grafiteiro Lamarca – e Fotografe essa Ideia, que premia as três melhores fotos tiradas durante a etapa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *